Inteligência Artificial e Meio Ambiente


Por Gabriela Cuentro

 

Nos últimos anos, é possível observar um crescente número de crimes ambientais no mundo, muitos desses casos aconteceram principalmente no Brasil, como o rompimento de barragens, desmatamento, queimadas, óleo nas praias, situações que já estavam acontecendo e neste ano ocorreram em uma proporção bem maior. Associado a isso, o planeta enfrenta o desafio das mudanças climáticas, causadas pelo aquecimento global, devido à sobrecarga de emissão de gases na atmosfera produzidos pelo homem durante esses últimos anos. Dessa forma, seria possível que aparatos tecnológicos podem nos auxiliar no reparo de danos causados a natureza? Soluções como a Inteligência Artificial podem ser uma saída para esses problemas?

foto: Ella Ivanescu

Alguns estudiosos acreditam que essa é uma grande oportunidade para ajudar com estudos e propostas de soluções para as mudanças climáticas, conforme estudo publicado por pesquisadores de universidades do mundo, intitulado “Solucionando as mudanças climáticas com aprendizado de máquina”.    Já em alguns lugares do mundo, instituições já atuam com o uso de aparatos de tecnológicos, como por exemplo, em monitoramentos que ajuda a combater a caça de animais silvestres.

Abaixo iremos listar três formas pelas quais o aprendizado de máquina pode ajudar a combater as mudanças climáticas, segundo o estudo  mencionado, e alguns projetos espalhados pelo mundo que se utilizam da IA em prol da natureza.

Melhores modelos climáticos

A informática climática, que consiste na integração da ciência de dados e as ciências climáticas, compreende diversos assuntos: a melhoria de previsões de fenômenos extremos como ciclones, a paleoclimatologia (estudo das variações climáticas ao longo da história da Terra), a reconstrução de condições climáticas passadas com o uso de dados coletados de diversas maneiras, como núcleos de gelo, a redução de escalas climáticas ou a utilização de modelos de grande escala para previsões meteorológicas hiperlocalizadas e os impactos socioeconômicos meteorológicos e climáticos.

Demonstrando os efeitos de extremos meteorológicos

Há quem já tenha sofrido na pele os efeitos das mudanças ambientais. Para outros, esses efeitos podem parecer menos palpáveis. Para que mais pessoas tenham uma percepção mais realista sobre isso, pesquisadores do Instituto de Algoritmos de Aprendizado de Montreal (MILA, na sigla em inglês), da Microsoft e da ConscientAI Labs utilizaram GANs, uma espécie de IA, para simular como provavelmente ficarão as casas após os danos causados pela elevação do nível do mar e por tempestades mais intensas.

Avaliando a origem do carbono

A Carbon Tracker é uma organização independente catalizadora de ideias financeiras que trabalha para alcançar o objetivo da ONU de evitar a construção de novas usinas de carvão até 2020. Com o monitoramento das emissões de usinas de carvão com imagens de satélite, a Carbon Tracker pode utilizar os dados que coleta para convencer o setor financeiro de que usinas de carvão não são lucrativas.

foto: Dominik Vanyi

Proteção da fauna e da flora

Em 2013, na reserva da África e da Ásia foi iniciado o projeto PAWS, Protection Assistant for Wildlife Security, que ajuda a combater a caça de animais silvestres. Utilizando a I.A o teste piloto que ocorreu em 2016, através de satélites com a I.A foi identificado onde foi então encontrado um elefante com as presas removidas, além de outras 10 armadilhas para antílopes foram encontradas antes que capturassem algum animal.

A IBM e agência digital KWP estão ajudando a preservar as praias australianas implementando inteligência artificial para mapear a erosão local — trabalho que era feito por cientistas. A melhor maneira de evitar a erosão das praias é procurar defesas naturais, como as ervas marinhas, e agora, a IA está sendo utilizada para automatizar o processo de rotulagem e identificação do tipo de ervas marinhas, sua densidade e cobertura. Com 91% de precisão, a tecnologia diminuiu o tempo necessário de oito horas para 20 minutos — e a previsão é que sua eficiência aumente à medida que a IA vai 'aprendendo'.

A Indra, uma das principais empresas globais de consultoria e tecnologia, instalou o sistema Faedo de vigilância contra incêndios florestais na região do Retin, em Cádis, Espanha. Consistem em postos de vigilância automática dotados de sensores térmicos capazes de medir com precisão a temperatura em distâncias de até 20 quilômetros. Estas estações enviam a informação ao centro de controle. O sistema conta com um algoritmo que permite diferenciar pequenos incêndios de alarmes falsos.

 

Fiquem ligados nos próximos temas:

Inteligência Artificial e Cidades, Casa, Design.

Até a próxima!

 

 


Referências acessadas em 01/10/2020:

https://x2inteligencia.digital/2019/10/25/a-inteligencia-artificial-pode-salvar-o-planeta/

https://www.nationalgeographicbrasil.com/meio-ambiente/2019/07/como-inteligencia-artificial-pode-ajudar-solucionar-mudancas-climaticas

https://olhardigital.com.br/noticia/ibm-usa-inteligencia-artificial-para-preservar-praias-na-australia/88676

https://www.indracompany.com/pt-br/noticia/faedo-deteccao-precoce-incendios-florestais-indra-protege-serra-retin-cadis

∗D.R. conceived and edited this work, with P.L.D., L.H.K., and K.K. Authors P.L.D., L.H.K., K.K., A.L., K.S., A.S.R., N.M-D., N.J., A.W-B., A.L., T.M., and E.D.S. researched and wrote individual sections. S.K.M., K.P.K., C.G., A.Y.N., D.H., J.C.P., F.C., J.C., and Y.B. contributed expert advice. Correspondence to drolnick@seas.upenn.edu


Compartilhar:
PENSOU EM OBRA © 2021 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS