Grandes reformas em ambientes pequenos: Como fazer?


Há quem diga que contratar um arquiteto é um investimento, às vezes, caro. Da mesma maneira que outras pessoas acreditam que na realidade é um investimento que vale muito a pena. Arquitetos costumam baratear o custo da obra e tudo o que tocam se transforma.

Nem tanto ao mar, nem tanto a terra...

De fato, arquitetura é um investimento, antes de tudo, em qualidade de vida. E quem dita os valores a serem gastos numa obra é o cliente, quando diz o que quer e o quanto está disposto a arcar com as reformas. Afinal, a criatividade desses profissionais é ilimitada e, na maioria das vezes, eles são movidos a desafios.

Um bom arquiteto não é simplesmente aquele que consegue fazer obras com custos baixíssimos, e sim, aquele que ajuda seu cliente a gastar no que de fato é importante. Ou seja, gastar de forma correta. O que não significa dizer que será mais caro.

Mas, uma coisa é certa: arquiteto transforma caixa de fósforo em campo de futebol.

Atualmente, as famílias estão menores e as moradias também. E o resultado disso é que estamos cada vez mais nos adaptando a pequenos espaços e mudando padrões de comportamento para que possamos caber em quartos de morar, equipados com utensílios e eletrodomésticos próprios de cozinha.

Hoje, os quartos de serviço, quando existem, são chamados de depósitos nas plantas dos apartamentos, as quais apresentam ambientes com proporções distorcidas de um quarto de solteiro, onde muitas vezes nem sequer cabe uma cama.

Os chamados quartos reversíveis podem ser reformados, integrando-se à suíte máster, ganhando a função de closets com certa facilidade. Entretanto, há quem prefira apenas incorporar um pedacinho do tal quarto para aumentar um outro cômodo e o que sobra nem sempre dá para se chamar de quarto, gerando espaços tão pequenos que nem vale a pena chamar um arquiteto para tentar melhorar o resultado. Será mesmo?

Como se diz por aí, criatividade é tudo! E um profissional bem preparado é capaz de transformar ambientes com tanta qualidade que não precisa abrir mão do conforto, deixando tudo mais belo e, conseqüentemente mais agradável, interferindo diretamente na qualidade de vida dos usuários.

Para exemplificar, que tal um quarto do tamanho de um banheiro? Você sabia que é possível colocar cama, bancada de estudos e até mesmo um guarda-roupa num cômodo com pouco mais de 4m²?

No projeto abaixo, os clientes realmente não acreditavam que seria possível e não faziam idéia de como acomodar tantas necessidades num lugar tão pequeno. A solução foi pedir ajuda de um arquiteto.

Com exceção da cama e cadeira, não existia no mercado armários que pudessem suprir às necessidades e, por isso, optou-se por desenhar tudo, aproveitando cada centímetro, priorizando conforto e segurança.

A mesinha de cabeceira foi substituída por uma pequena bancada de estudos, com um montante lateral que protege o usuário de bater a cabeça no tampo se ele se mexer muito enquanto dorme. Além disso, a cama escolhida, esta sim comprada pronta, tem altura boa o suficiente para que a parte inferior possa servir de armário ao mesmo tempo em que permite o uso da tal bancada como mesa de cabeceira. Afinal, um lugarzinho para acomodar uma luminária ou mesmo um copo com água à noite é essencial.
Quando a bancada não está em uso, o espaço sob ela serve para acomodar a mochila da escola e a cadeira prontamente vai para a parede, de forma inusitada!

Para melhorar a circulação, foi instalada uma porta de correr no acesso ao quarto, liberando o espaço entre a cama e a parede, evitando que o giro da porta atrapalhe o guarda-roupa, que conta com gavetas, cabide e local para sapatos, além de um maleiro que arremata a prateleira dos livros alocada acima da cama e passando na frente da janela, com espaço para que a cortina fique acomodada sem atrapalhar nada, garantindo a privacidade.

Para facilitar o alcance, os livros que estão em uso foram acomodados facilmente nas paredes, dando um ar mais despojado ao espaço e facilitando o dia a dia de quem adora ler, sem que precise ocupar toda a mesinha de cabeceira!

O resultado final foi surpreendente e hoje o quartinho virou o xodó da casa, sendo motivo de orgulho para os moradores que conseguiram acomodar bem todos os filhos, cada um no seu próprio quarto.

 Para mais informações ou contato para projetos: @patjanine


 


Compartilhar:
PENSOU EM OBRA © 2021 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS