CONSTRUINDO VERDE | Construção verde: conceitos e necessidades


por Gabriela Cuentro

Atualmente, sabe-se que a indústria da construção civil é responsável por 36% das emissões de CO2 no mundo, das quais 11% correspondem à fabricação de materiais como aço, cimento e vidro, segundo o relatório mais recente da Global Alliance for Buildings and Construction. Dessa forma, líderes mundiais juntamente com algumas empresas, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento(BID), entendem que "é fundamental que profissionais do setor adquiram novos conhecimentos e desenvolvam práticas profissionais de sustentabilidade ambiental que se vejam refletidas na diminuição do consumo de energia tanto na fase de construção das edificações quanto na fase de operação”, segundo o BID.

Em junho de 2020, o BID lançou um guia prático de 125 páginas com informações para edificações, canteiros de obra e espaços públicos sustentáveis no Brasil, informações essas que iremos trazer ao longo de 04 matérias, a fim de auxiliar a profissionais da construção civil com acesso a soluções de sustentabilidades, que possam ser aplicadas em seus projetos.

O que é uma construção verde?

As construções verdes são edificações que possuem processos ambientalmente responsáveis e eficientes, ao longo do seu ciclo de vida. Segundo o Conselho de Edifícios Verdes dos Estados Unidos (USGBC, conforme sigla em inglês), a “Construção verde é um conceito holístico que começa com a compreensão de que o ambiente construído pode ter efeitos profundos, positivos e negativos, no ambiente natural, bem como nas pessoas que habitam os edifícios. A construção verde é um esforço para expandir os efeitos positivos e mitigar os negativos ao longo de todo o ciclo de vida de um edifício”. Complementar a essa definição, alguns quesitos são levados em conta quanto a construções verdes, segundo o Conselho Mundial do Edifício Verde (World GBC, conforme sigla em inglês):

  • Uso eficiente de energia, água e outros recursos;
  • Uso de energia renovável, como a solar;
  • Medidas para reduzir a poluição e os resíduos assim como para habilitar a reutilização e reciclagem de materiais;
  • Qualidade do ar no ambiente interno;
  • Uso de materiais não tóxicos, éticos e sustentáveis;
  • Consideração do meio ambiente durante o projeto, a construção e operação;
  • Consideração da qualidade de vida dos ocupantes durante o projeto, a construção e operação;
  •  Desenho que permita a adaptação a um ambiente em transformação.

Arquitetura biofílica. Fonte: sustentarqui

Concepção do projeto arquitetônico

Um edifício concebido visando a sua sustentabilidade terá resultados mais promissores, uma vez que leva em consideração alguns elementos como: sistemas construtivos e suas funcionalidades, consumo de energia, necessidades do projeto a fim de que aproveite melhor a orientação, luz e ventilação natural daquele microclima, por exemplo.

As edificações são sistemas

Uma edificação é soma de todos os sistemas contidos nela, que interagem entre si individualmente, mas impactando toda a construção. Optar por grandes esquadrias, por exemplo, é ótimo para o aproveitamento da iluminação natural, mas podem influenciar diretamente no conforto térmico dentro do edifício caso não se escolha um vidro adequado.

Ciclo de vida de uma construção

Para reduzir a emissão de CO2 em todas as fases do ciclo de vida de uma construção, é preciso entender que esse ciclo não começa no início da obra, e nem se encerra quando essa se acaba. Desde “a extração das matérias-primas, manufatura, transporte, construção, manutenção, renovação, demolição e tratamento de resíduos (reciclagem ou disposição final). Para cada uma das fases do ciclo de vida, é possível que se quantifiquem diversos impactos, incluindo os provocados pela quantidade de energia gerada e logo demandada para atender a diversos usos finais.” Dessa forma, o planejamento desde a concepção é primordial.

Fases do ciclo de vida da uma edificação. Fonte: BDI

 A importância do projeto integrado e da equipe multidisciplinar

A multidisciplinaridade no projeto integrado consiste em incluir profissionais de diversas áreas que possam contribuir com conhecimentos específicos na elaboração do projeto. Podem ser eles: engenheiros civis, eletricistas e ambientais; arquitetos especialistas em bioclimática e sustentabilidade; e profissionais da tecnologia relacionada ao edifício.

Arquitetura bioclimática e conforto do usuário

Também conhecida como ecoarquitetura, arquitetura sustentável ou arquitetura verde, a arquitetura bioclimática tem como principal aspecto a relação com os fatores climáticos (sol, vegetação, topografia, chuvas, ventos) do entorno condicionados pela natureza, de acordo com a localização geográfica. Seu objetivo é respeitar e agregar esses elementos à construção garante mais conforto para as pessoas.

Análise do terreno

Todo projeto arquitetônico começa com o estudo das condicionantes do terreno: quadra, orientação, dimensões e estudo de legislação, e, muitas vezes, o estudo um pouco mais detalhado, como é o caso do projeto da construção verde, consegue atingir resultados melhores. Algumas das características locais para esse estudo, segundo o guia prático do BDI, seriam:

  • Latitude geográfica
  • Dados de temperatura e umidade
  • Radiação solar e insolação
  • Ventos predominantes e locais
  • Quantidade de precipitações e nuvens
  • Topografia local • Vegetação endêmica
  • Características das águas subterrâneas e do escoamento superficial
  • Textura do solo, sua capacidade de infiltração e capacidade de carga
  • Forma, acesso e logística
  • Altura das edificações adjacentes
  • Possíveis desenvolvimentos futuros

 

Fiquem ligados nas próximas matérias: Edificações Verdes; Espaços urbanos públicos; Canteiro de Obra, e até a próxima!

 

Referências:

Vamos construir verde?: guia prático para edificações, espaços públicos e canteiros sustentáveis no Brasil / Esperanza González-Mahecha, Livia Minoja, Lucas Rosse Caldas, Clementine Tribouillard.

IEA. Global Status Report for Buildings and Construction 2019. Towards a zeroemissions, efficient and resilient buildings and construction sector, Paris. 2019. Disponível em:

worldgbc.org/sites/default/files/2019%20Global%20Status%20 Report%20for%20Buildings%20and%20Construction.pdf


Compartilhar:
PENSOU EM OBRA © 2021 - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS